Novembro | 2016 | Running Wonders
16/11/16 Newsletter , Running Wonders EDP

Entrevista – Marisa Barros

Nome completo?

Elsa Marisa Branco Barros.

 

Clube que representa?

Salgueiros.

 

Como se iniciou no atletismo?

O percurso na modalidade iniciou-se através de campeonatos escolares de atletismo.

 

Percurso realizado na modalidade?

Inicialmente corri pelo Leões de Sanfins de Ferreira, tendo passagens pelo F. C. de Vizela, S.C. de Braga, Açoreana, Sportzone, S. L. Benfica e como individual. Atualmente, represento o S.C. e Salgueiros.

 

Palmarés de carreira?

JOGOS OLÍMPICOS

Atleta Olímpica (Maratona) em 2008 – Beijing (32ª classificada) e em 2012 – Londres (12ª classificada) na Maratona 2h26m13s

CAMPEONATOS DO MUNDO 

2009 – Berlim (6ª classificada) na Maratona com 2h26m51s

2011 – Daegu (Coreia do Sul)  9ª classificada na Maratona com 2h30m 13s

CAMPEONATOS DA EUROPA

2010 – Barcelona – (6ª classificada) na Maratona

CAMPEONATOS da Europa de Corta Mato (Açoteias)

6ª Classificada (Individual)

Medalha de Ouro (Colectiva)

Campeonato da Europa em Zurique (2014)

Medalha de Prata (Colectiva) na Maratona

Campeonato da Europa em Amsterdão (2016)

Medalha de Ouro (Colectiva) na Meia Maratona

OUTRAS COMPETIÇÕES INTERNACIONAIS

Vencedora da Maratona do Porto (2007) 2h31m31s – Mínimo Olímpico

Vencedora da Maratona de Sevilha (2009) 2h26m03s – Melhor Marca feita na península ibérica

Maratona de Osaka-2010 (Japão) 2h25m44s – 2ª classificada – Medalha de Prata

Maratona de Yokohama-2011 (Japão) 2h25m04s 3ª classificada – Medalha Bronze

Maratona de Yokohama-2012 (Japão) 2h26m51s 3ª classificada – Medalha Bronze

MELHORES MARCAS PESSOAIS EM ESTRADA

10 km      31m31s em JAÉN – ESPANHA

15 km      48m57s no Porto

Meia Maratona – 1h09m09s em Newcastle

Maratona – 2h25m04s em Yokohama

 

Influências e ídolos dentro da modalidade?

A atleta que mais admiro pelo seu estatuto e historial é a Rosa Mota.

 

Plano atual de treinos?

O meu plano de treino é definido pelo António Ascensão.

 

Que equipamento utiliza para os seus treinos? E para as corridas?

O equipamento para os treinos são Mizuno e nas competições os do clube que actualmente represento – S.C. Salgueiros.

 

Hábitos alimentares que utiliza e aconselha aos iniciantes da modalidade?

Alimentação variada… carne/peixe… legumes… saladas e alimentos com hidratos de carbono.

 

Como tomou conhecimento com as Running Wonders EDP?

Conheci as Running Wonders EDP participando, em 2014, na Meia Maratona do Douro Vinhateiro e na Meia Maratona de Guimarães.

 

Em quantos eventos já participou?

Até ao momento, a minha participação nas Running Wonders EDP resume-se a:

2014 – Vencedora da Meia Maratona do Douro Vinhateiro e vencedora da Meia Maratona de Guimarães, Corrida do Conquistador. Em 2016 venci a Meia Maratona do Douro Vinhateiro, Guimarães e Dão e terminei em segundo na Meia Maratona de Coimbra.

 

Que preparação costuma realizar para estas corridas?

Fazemos a preparação normal.

 

Que perspectiva tem deste tipo de eventos?

São eventos muito bem organizados, com “circuitos” muito seletivos, espetaculares e… com futuro assegurado.

 

Objetivos para 2017?

Passa por participar nos vossos eventos como preparação para a maratona do Mundial de Londres.

 

Projetos de futuro dentro da modalidade?

Ficar ligada à Modalidade!

no responses
10/11/16 Entrevistas , Running Wonders EDP

Entrevista – António Pedro Rocha

Nome completo?

António Pedro de Almeida da Rocha.

 

Clube que representa?

GiraSol.

 

Como se iniciou no atletismo?

Fiz a minha primeira corrida com 10 anos de idade e, apesar de ter ficado longe dos primeiros lugares, o bichinho da corrida surgiu aí. Desde essa altura fui competindo a nível do desporto escolar, mas raramente conseguia o apuramento para as competições distritais.

Aos 17 anos apurei-me para o corta-mato escolar nacional e, por motivação do meu professor de Educação Física, comecei a treinar. O início foi muito complicado porque não tinha treinador, nem clube e os meus treinos eram muito rudimentares.

 

Percurso realizado na modalidade?

Inicialmente corri pelo Clube Desportivo de Drizes, de São Pedro do Sul, mas o clube dedicava-se praticamente só ao futebol e, quando as competições de atletismo coincidiam com as do futebol, não havia transporte para as provas. Esse foi o principal motivo que me levou a sair e a ingressar na Associação Cultural e Recreativa de Cambra, de Vouzela, onde permaneci quatro anos. Após este período, em que obtive alguns resultados relevantes, ingressei na Associação GiraSol, onde permaneço há 2 anos.

 

Palmarés de carreira?

Já venci múltiplas provas de estrada. Mas a aposta continua a ser a pista onde já entrei várias vezes no Top 10 a nível nacional.

 

Influências e ídolos dentro da modalidade?

Em Portugal, os meus grandes ídolos e influências são o Rui Silva, Rui Pinto e o Licínio Pimentel. A nível mundial o Hicham El Guerrouj e o Kenenisa Bekele são os atletas que mais admiro pelo seu estatuto e historial.

 

Plano atual de treinos?

Só tenho possibilidade de fazer um treino por dia. Os meus treinos resumem-se a trabalhos de corrida contínua (4 vezes por semana) e treinos intercalados (3 vezes por semana), sendo que ao fim de semana faço um treino longo (mais de 20 km).

 

Que equipamento utiliza para os seus treinos? E para as corridas?

O mais importante no equipamento é a questão do calçado que se utiliza. Os corredores estão sempre sujeitos a grandes impactos no solo e é preciso escolher as sapatilhas adequadas às nossas características.

 

Hábitos alimentares que utiliza e aconselha aos iniciantes da modalidade?

O gasto de energia depende das características do atleta, da intensidade e do ambiente em que habitualmente treina. Recomendo uma alimentação rica em hidratos de carbono de modo a satisfazer as acrescidas exigências energéticas. Ainda assim devem consultar um nutricionista de modo a planear de forma controlada a sua alimentação.

 

Como tomou conhecimento com as Running Wonders EDP?

A GlobalSport introduziu um novo conceito na modalidade com as “Running Wonders”. Foi fácil tomar conhecimento destas corridas porque são bem divulgadas e têm uma estrutura impressionante.

 

Em quantos eventos já participou?

Já participei em quatro eventos promovidos pela GlobalSport. Três meias maratonas e uma mini maratona.

 

Que preparação costuma realizar para estas corridas?

Depende sempre da época. Mas para se fazer uma meia maratona com qualidade é preciso ter sempre uma boa base de quilometragem desenvolvida nos treinos. Geralmente faço entre 100 a 120 quilómetros por semana em treino.

 

Que perspectiva tem deste tipo de eventos?

O facto de os circuitos percorrerem zonas histórias classificadas pela Unesco como Patrimónios Mundiais é uma novidade do nosso país e está a ter um tremendo sucesso. Como atleta, é bom sentir o envolvimento de uma moldura humana enorme.

 

Objetivos para 2017?

Tenho evoluído muito no último ano, os meus resultados provam isso mesmo. O trabalho que tenho feito nos treinos revelam que é possível aspirar a outros patamares e espero que 2017 seja um ano de afirmação.

 

Projetos de futuro dentro da modalidade?

A curto prazo, as minhas ambições passam por ganhar uma medalha nos campeonatos nacionais e, a longo prazo, representar a Selecção é outra delas.

no responses
EnglishFrenchPortugueseSpanish